ACEITABILIDADE DAS DIETAS ORAIS DE UM HOSPITAL DO SUL DE MINAS

Thamirys Nascimento, Daniele Faria Moreira, Rita de Cássia Reis Carvalho, Marco Antônio Olavo Pereira, Érika Aparecida Azevedo Pereira, Brunna Sullara Vilela

Resumo


Este estudo tem como objetivo avaliar a aceitabilidade das dietas orais pelos pacientes internados no hospital São Francisco de Assis em Três Pontas, MG. Trata-se de um estudo transversal, realizado no setor público do hospital citado. Foram questionados a 26 pacientes, acima de 18 anos sobre a qualidade das dietas assim como a importância dos indicadores: aparência, sabor, textura, variedade, horário, forma de distribuição, temperatura, higiene e cortesia para aceitabilidade das dietas. Ainda foi realizada uma entrevista com a nutricionista do hospital a fim de saber sobre sua atuação. 30,8% dos entrevistados consideraram a refeição ótima, 57,7% consideraram boa, 7,7% regular e 3,8% ruim. Os indicadores: sabor, higiene, temperatura e cortesia forma considerados como importantes ou muito importantes para ambos. A nutricionista relatou não encontrar dificuldades profissionais. Concluiu-se que as dietas tiveram boa aceitação e que o trabalho da nutricionista é respeitado e realizado com competência.

 

ABSTRACT

This study aims to evaluate the acceptability of oral diets by patients admitted to the São Francisco de Assis hospital in Três Pontas, MG. This is a cross-sectional accomplished in the public sector of the mentioned hospital. Twenty-six patients, over 18 years of age, were questioned about the quality of diets as well as the importance of the indicators: appearance, taste, texture, variety, schedule, form of distribution, temperature, hygiene and courtesy for dietary acceptability. An interview was conducted with a hospital nutritionist for know about her performance. 30.8% of the interviewees considered the meal  optimal, 57.7% considered good, 7.7% regular and 3.8% bad. The indicators: flavor, hygiene, temperature and courtesy are considered as important or very important for both. The nutritionist reported that she did’t encounter any professional difficulties. It was concluded that the diets were well accepted and that the work of the nutritionist is respected and performed competently.


Palavras-chave


aceitabilidade, dieta hospitalar, nutrição, acceptability, hospital diet, nutrition

Texto Completo:

PDF

Referências


Barros CRO, Silva AMC, Nascimento JEA, Caporossi FS & CaporossI C. (2012). Desnutrição proteico - calorica como causa concomitante de morte em declarações de óbito. Revista Científica do hospital Santa Rosa. 4 (4): 9-15.

Brasil. (2004) Resolução RDC nº 216, de 15 de Setembro de 2004. Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Brasília: Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA.

Diez-Garcia RW, Padilha M & Sanches M. (2012) Alimentação hospitalar: proposições para a qualificação do Serviço de Alimentação e Nutrição, avaliadas pela comunidade científica. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, n. 2, p. 473-480.

Fidelix MSP, Santana AFF & Gomes JR. (2013) Prevalência de desnutrição hospitalar em idosos. Revista da Associação Brasileira de Nutrição. São Paulo, SP, Ano 5, n. 1, p. 60-68.

Garcia RWD. (2006) A dieta hospitalar na perspectiva dos sujeitos envolvidos em sua produção e em seu planejamento. Revista de Nutrição, Campinas, v. 19, mar. ISSN 1678-9865.

Gardner, A., Mattiuzzi G.,Faderl S., Borthakur G., Garcia-Manero G., Pierce S., Brandt M.,Estey E. (2008, december). Randomized comparison of cooked and noncooked diets in patients undergoing remission induction therapy for acute myeloid leukemia. Journal of Clinical Oncology, v. 26, n. 35, p. 5684-8.

Lima L.S., Araújo, M. A. R., Ornelas, G. C., & Logrado, M. (2012). Validação de Instrumento de Triagem Nutricional. Acta Médica Portuguesa, v. 25, n. 1, p. 10-14.

Marques M & Pinheiro MT. (2009, maio). A influência da qualidade da hotelaria hospitalar na contribuição da atividade curativa do paciente. Revista Científica Interdisciplinar da Graduação, São paulo, v. 2, n. 3. ISSN 1982-1689.

Martins C. Meyer, L. R., Savi, F., & Morimoto, I. M. (2001) Manual de dietas hospitalares. 1ed. Paraná: Vieira.

Morimoto IMI & PaladinI EP.(2009, abril). Determinantes da qualidade da alimentação na visão de pacientes hospitalizados. O mundo da saúde, São Paulo, v. 33, p. 329-334.

Pedroso CGT, Sousa AA & Salles RK. (2011). Cuidado nutricional hospitalar: percepção de nutricionistas para atendimento humanizado. Ciência & Saúde Coletiva, v. 16, n. 1, p. 1155-62.

Ribas AS, Pinto EDO & Rodrigues CB. (2013, dezembro). Determinantes do grau de satisfação da dieta hospitalar: Ferramentas para prática clínica. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde, Rio de Janeiro, v. 8, p. 137-148. ISSN 2238-913X

Santos RCL & Diez-Garcia RW. (2011). Dimensionamento de recursos humanos em serviços de alimentação e nutrição de hospitais públicos e privados. Revista de Administração Pública, v. 45, n. 6, p. 1805-1819.

Silveira RDC, Migowski ER & Vasconcellos SLD. (2013, dezembro). Gastronomia hospitalar como geradora de uma vantagem competitiva. Negócios e Talentos, São Paulo, v. 2, p. 27-42.

Souza AAD, Glória MDS &Cardoso TS. (2011, abril). Aceitação de dietas em ambiente hospitalar. Revista de Nutrição, Campinas , v. 24, n. 2, p. 287-294. ISSN 1415-5273.

Souza MDD & Nakasato M. ( 2011, março). A gastronomia hospitalar auxiliando na redução dos índices de desnutrição entre pacientes hospitalizados. O mundo da saúde, São Paulo, v. 35, p. 208-214.

Teixeira VP, Miranda RC & Baptista DR. (2016). Desnutrição na admissão, permanência hospitalar e mortalidade de pacientes internados em um hospital terciário. Demetra; 11(1); 239-251.

Waitzberg DL, Caiaffa WT & Correia MITD. (2001). Hospital malnutrition: the Brazilian national survey (IBRANUTRI): a study of 4000 patients. Nutrition, v. 17, n. 7, p. 573-580.

Wilson, B. J. Dietary recommendations for neutropenic patients.(2002, February). Seminars in Oncology Nursing, v. 18, n. 1, p. 44-9.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Tea Sets and Tea Set