A IMPORTÂNCIA DO PORTUGUÊS COMO LÍNGUA DE ACOLHIMENTO NA INTEGRAÇÃO DE ALUNOS IMIGRANTES E REFUGIADOS NO INSTITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA – IFB

Fátima Bandeira Hartwig, Perpétua Santos Silva

Resumo


RESUMO

As sociedades contemporâneas são marcadas pela diversidade, pela heterogeneidade e complexidade das relações. Atravessadas pela intensidade dos fluxos migratórios, as instituições educativas, enquanto espaços democráticos para o exercício da cidadania, devem atender à multiplicidade de origens geográficas dos seus estudantes e às diferenças sociais, culturais e étnicas que os caraterizam. Assim, a presente pesquisa, enquadrada no domínio da Educação Social, foi realizada no Instituto Federal de Brasília (IFB), considerando os desafios que se colocam às instituições educativas com a chegada de alunos imigrantes e refugiados, cuja integração educacional e social é preciso promover. A pesquisa realizada corresponde a um estudo exploratório, com recurso às metodologias qualitativas através da técnica de entrevistas. Foram entrevistados alunos matriculados em diferentes cursos do IFB, oriundos de diversos países como Nigéria, Peru, Guiné Bissau, Venezuela e Paraguai. Além das entrevistas com os alunos, foram realizadas entrevistas com representantes de instituições públicas e da sociedade civil que já desenvolvem trabalho na integração de imigrantes e refugiados. A partir da análise da informação levantada, identificámos áreas-problema significativas, passíveis de intervenção por parte do Educador Social, nomeadamente no que respeita à aprendizagem da língua e da cultura do país de acolhimento. Esta questão é percebida pelos alunos imigrantes e refugiados entrevistados como de total importância na sua inclusão social e profissional, para a promoção da igualdade de oportunidades e contribuindo para o pleno exercício de cidadania.

 

ABSTRACT

Contemporary societies are marked by diversity, the heterogeneity and complexity of relationships. Crossed by the intensity of migratory flows, educational institutions, as democratic spaces for the exercise of citizenship, must attend to the multiplicity of geographical origins of their students and to the social, cultural and ethnic differences that characterize them. Thus, the present research in the field of Social Education was carried out at the Federal Institute of Brasília (IFB), considering the challenges faced by educational institutions with the arrival of immigrant and refugee students whose educational and social integration must be promoted. The research corresponds to an exploratory study, using qualitative methodologies through interviews technique. We interviewed students enrolled in IFB courses from different countries such as Nigeria, Peru, Guinea Bissau, Venezuela and Paraguay. In addition to interviews with students, interviews were conducted with representatives of public institutions and of the civil society who are already working on the integration of immigrants and refugees. Based on the analysis of the information collected, we identified significant problem areas that could be addressed by the Social Educator, particularly in relation to learning the language and culture of the host country. This issue is perceived by the immigrant and refugee students interviewed as of utmost importance in their social and professional inclusion, in order to promote equal opportunities and contribute to the full exercise of citizenship.


Palavras-chave


Educação Social, Imigrantes, Integração, Língua portuguesa, Refugiados, Social Education, Immigrants, Integration, Refugees, Portuguese language

Texto Completo:

PDF

Referências


Ançã, M. H. S. F. (2008). Língua portuguesa em novos públicos. Saber (e) Educar. Porto: ESE de Paula Frassinetti. (pp.71-87). Disponível em: http://repositorio.esepf.pt/bitstream/10000/157/2/SeE_13LinguaPortuguesa.pdf

Araújo, S. E. F. de A. (2008). Contributos para uma educação para a cidadania: professores e alunos em contexto intercultural. (Tese de Mestrado, Universidade Aberta, Lisboa, Portugal). Disponível em: http://docplayer.com.br/50078-Contributos-para-uma-educacao-para-a-cidadania.html

Azevedo, S. (2014). O lugar da escola em contexto socioeducativo - Opinião. Praxis Educare Revista da Associação dos Profi¬ssionais Técnicos Superiores de Educação Social. 2. .5- 6.

Cabete, M. A. C. S. da S. (2010). O Processo de Ensino-Aprendizagem do Português enquanto Língua de Acolhimento. (Tese de Mestrado). Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/4090/1/ulfl081236_tm.pdf

Colóquio sobre Direitos Humanos na Política Migratória Brasileira (2013). Relatório Geral dos Eventos de I Nível do Projeto OIM – DEEST/SNJ. Disponível em: http://www.participa.br/articles/public/0006/1228/Relat%C3%B3rio_Geral_dos_Eventos_I_N%C3%ADvel_Projeto_OIM_DEEST__2_.pdf

Farmhouse, R.

Fernandes, D. (2015). O Brasil e a migração internacional no século XXI – notas introdutórias. (pp. 19-39). In E. J. P. Do Prado, & R. Coelho (Orgs.). Migrações e Trabalho. Brasília: Ministério Público do Trabalho.

Freire, Sofia. (2008). Um olhar sobre a inclusão. Instituto Superior D. Afonso III. Revista da Educação, 26, 5 – 20. Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/5299/1/Um%20olhar%20sobre%20a%20Inclus%C3%A3o.pdf

Gil, A. C. (2011). Métodos e técnicas de pesquisa social. (6a ed). São “Paulo”: Atlas.

Gonçalves, J. L. (2006). O educador social, desafiado pela diversidade cultural das sociedades contemporâneas. Cadernos de Estudo.3.111-118.

Grosso, M. J. (2007). As competências do Utilizador elementar no contexto de acolhimento. Actas do Seminário Língua Portuguesa e Integração. Lisboa. Portugal. Disponível em:http://mha.home.sapo.pt/paginas/cd/pdfs/3.%20Maria%20Jose%20Grosso.pdf

Grosso, M. J.,Tavares, A. & Tavares, M. (2008). O português para falantes de outras línguas: o utilizador independente no país de acolhimento. Ministério da Educação. Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular, Lisboa.Disponível em: http://opac.iefp.pt:8080/images/winlibimg.aspx?skey=&doc=75529&img=627

Guerra, I. C. (2000). Fundamentos e Processos de uma Sociologia de Ação: O planeamento em Ciências Sociais. Lisboa: Ed. Principia.

Guerra, I. C. (2006). Pesquisa Qualitativa e Análise de Conteúdo: Sentidos e Formas de Uso. Sociologia. Lisboa: Ed. Principia.

Lei nº 6.815, de 19 de agosto de 1980(1980). Define a situação jurídica do estrangeiro no Brasil, cria o Conselho Nacional de Imigração. Brasil. 1980. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6815.htm

Lussi, C. (2015). Formulação legal e políticas públicas no trato das migrações nacionais e internacionais (pp. 55-68). In E. J. P. Do Prado, & R. Coelho (Orgs.). Migrações e Trabalho. Brasília: Ministério Público do Trabalho.

Machado, F. L., & Abranches, M. (2005). Caminhos Limitados de Integração Social: Trajectórias socioprofissionais de cabo-verdianos e hindus em Portugal. Sociologia. Problemas e Práticas[on line]. 48. 69-91. Disponível em: http://www.scielo.mec.pt/pdf/spp/n48/n48a06.pdf

Milesi, R., & Andrade, W. C. de. (2015). A sociedade civil na atenção aos imigrantes e refugiados – O agir do IMDH. (pp. 175-202) . In E. J. P. Do Prado, & R. Coelho (Orgs.). Migrações e Trabalho. Brasília: Ministério Público do Trabalho.

Rajput, D. (2012). A Aprendizagem do Português enquanto Língua de Acolhimento: A Comunidade Punjabi em Portugal. (Tese de Mestrado). Disponível em: http://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/8802/1/ulfl130728_tm.pdf

Seabra, T. (2012). Desigualdades de desempenho escolar: etnicidade, gênero e condição social em escolas básicas da Área Metropolitana de Lisboa. Sociologia, Revista da Faculdade de Letras da Universidade do Porto. [Número temático: Imigração, Diversidade e Convivência Cultural]. 185-210. Disponível em: http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/10014.pdf

Semedo, G. (2011). Políticas de Integração: O Ensino/Aprendizagem da Língua Portuguesa no Contexto de Acolhimento e Integração de Adultos Imigrantes. Dissertação de Mestrado em Migrações, Inter-etnicidades e Transnacionalismo, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Disponível em: http://run.unl.pt/bitstream/10362/7255/1/Dissertacao%20Politicas %20Integracao%20Ensino_aprendizagem%20lingua%20imigrantes.pdf

Seyferth, G. (2008). Imigrantes, estrangeiros: a trajetória de uma categoria incomoda no campo político. Anais da 26ª Reunião Brasileira de Antropologia, Porto Seguro, Brasil. 20. Disponível em: http://www.abant.org.br/conteudo/ANAIS/CD_Virtual _26_RBA/mesas_redondas/trabalhos/MR%2012/giralda%20seyferth.pdf

Silva, P. M. S. (2012). A língua e a cultura portuguesas a Oriente: análise ao caso de Macau. (Tese de doutorado). Disponível em: https://repositorio.iscte-iul.pt/handle/10071/5879

Silva, P. S. (2013). Portugal e as políticas de integração de imigrantes", Segundas Lenguas e Inmigracion en red, 7, pp. 8-27. Disponível em: http://issuu.com/letra25/docs/sli-revista7/3?e=0

Sprandel, M. A. (2015). Marcos legais e políticas migratórias no Brasil. (pp. 41-54) . In E. J. P. Do Prado, & R. Coelho (Orgs.). Migrações e Trabalho. Brasília: Ministério Público do Trabalho.

Viegas, L. H. (2014). A Educação Social em contexto escolar: contributos para a definição de áreas de intervenção e para o perfil do Educador Social nas escolas. Praxis Educare - Revista da Associação dos Profi¬ssionais Técnicos Superiores de Educação Social. 2.7 - 11.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Tea Sets and Tea Set