COMO SE APRENDE NUM MOOC? How do you really learn in a MOOC?

Teresa Maia e Carmo

Resumo


Como se processa a aprendizagem na modalidade de e-learning sob o formato MOOC? Neste estudo de caso qualitativo comparam-se duas experiências de aprendizagem do ponto de vista do participante em dois MOOC. Trata-se de uma investigação de natureza qualitativa exploratório-descritiva, onde se utilizaram as técnicas mais usadas em investigação qualitativa: a observação participante, o inquérito (por entrevista e questionário) e a análise documental. Os seus resultados apontam para uma experiência de aprendizagem participativa, distribuída, em rede, maciça, solitária e solidária, conveniente, flexível, internacional, informal, criativa, aberta e de qualidade. O que indica a operacionalidade dos MOOC como elementos estratégicos para a empregabilidade - uma vez que é possível treinar competências e habilitar os seus participantes com novos conhecimentos a custos muito baixos – assim como para a redução das desigualdades, por alargarem o acesso ao conhecimento a aprendentes periféricos a vários níveis em condições de qualidade e exigência científica apreciáveis.

 

ABSTRACT

How does learning work in MOOC format? In this qualitative case study two learning experiences are compared from the point of view of the participant in two MOOC. This is an exploratory-descriptive qualitative research, using the most used techniques in the field: participant observation, inquiry (by interview and questionnaire) and documental analysis. The results point to a participatory, distributed, networked, solitary and supportive, convenient, flexible, international, informal, creative, open and quality learning experience. This points to consider MOOCs as strategic elements for employability - since it is possible to train skills and equip their participants with new knowledge at very low costs - as well as to reduce inequalities, by widening access to knowledge under conditions of relevant scientific quality.


Palavras-chave


Aprendizagem, Educação, E-learning, MOOC, Tecnologia, Education, Learning, Technology

Texto Completo:

PDF

Referências


Carmo, H. e Ferreira, M. (1998). Metodologia da Investigação – Guia para Auto-aprendizagem. Lisboa: Universidade Aberta.

Comissão Europeia (2010). Agenda Digital, comunicação da Comissão Europeia COM(2010)245.

Comissão Europeia (2012). Repensar a Educação, comunicação da Comissão Europeia COM(2012)669.

Comissão Europeia (2013). Opening up Education, disponível em : http://ec.europa.eu/smartregulation/ impact/planned_ia/docs/2013_eac_003_opening_up_education_en.pdf, consultado a 12.01.2017.

Denzin, N. e Lincoln, Y. (2006). O Planejamento da Pesquisa Qualitativa – Teorias e Abordagens. Porto Alegre; Artmed.

Downes, S. (2007). What Connectivism is no blogue Half an Hour acessível em http://halfanhour.blogspot.pt/2007/02/what-connectivism-is.html, consultado em 03.04.2017.

Gaebel, M., Kupryanova, V., Morais, R., Colucci, E. (2014). E-learning in European Higher Education Institutions - results of a mapping survey Conducted in october-december 2013, EUA occasional papers acessível em http://www.eua.be/Libraries/Publication/e-learning_survey.sflb.ashx, consultado a 16.12.2016.

Maia e Carmo, T. (2015). Comunicação Digital, Educação e Cidadania Global: um Novo Paradigma (Tese de Doutoramento, Universidad Complutense de Madrid), no prelo.

Morrison, D. (2013), The Ultimate Student Guide to cMOOCs and xMOOCs in MOOC News & Reviews, acessível em http://moocnewsandreviews.com/ultimate-guide-to-xmoocs-and-cmoocso/, consultado a 02.01.2016.

Realli, A. E Mill, D. (orgs.) (2014). Educação a Distância e Tecnologias Digitais – Reflexões sobre sujeitos, saberes, contextos e processos. São Carlos: EDUFSCar

Yin, R. (1998). Case Study Research. Design and Metthods. Newbury Park: Sage Publications.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Copyright Stainless Steel Teapot