DIFERENCIAÇÃO PEDAGÓGICA NAS PRIMEIRAS IDADES PARA A CONSTRUÇÃO DE UMA PRÁTICA INCLUSIVA Pedagogical differentiation in the early ages for the construction of an inclusive practice

Bruna Clérigo, Rita Alves, Isabel Piscalho, Maria João Cardona

Resumo


Este estudo de natureza qualitativa centra-se na temática da diferenciação pedagógica (DP) na educação pré-escolar e no 1.º ciclo do ensino básico de modo a promover uma prática inclusiva. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas a sete educadoras de infância e a sete professoras em que se procuraram identificar as suas conceções sobre DP e de que forma a implementam na sua prática. Da análise dos dados pode perceber-se que as docentes procuram implementar estratégias de DP de forma a responder às necessidades e capacidades de cada criança, respeitando os seus ritmos de aprendizagem. Neste sentido realçam o papel do planeamento da avaliação e organização do ambiente educativo. Verificam-se, no entanto, que são várias as dificuldades sentidas na implementação de estratégias de DP, o que nos leva a refletir sobre a necessidade de um maior apoio formativo nesta área, para o desenvolvimento de práticas que respondam efetivamente às necessidades específicas de cada criança.

 

ABSTRACT

This qualitative study focuses on the theme of pedagogical differentiation (PD) in pre-school education and in the 1st cycle of basic education in order to promote an inclusive practice. Semi-structured interviews were conducted with seven kindergarten teachers and seven teachers in which they sought to identify their conceptions about PD and how they implemented it in their practice. From the analysis of the data it can be seen that the teachers seek to implement PD strategies in order to respond to the needs and capacities of each child, respecting their learning rhythms. In this sense, they emphasize the role of evaluation planning and organization of the educational environment. However, there are several difficulties in the implementation of PD strategies, which leads us to reflect on the need for greater formative support in this area, for the development of practices that effectively respond to the specific needs of each child


Palavras-chave


Diferenciação Pedagógica, educação Pré-Escolar, 1º ciclo do ensino básico, Pedagogical differentiation, preschool education, 1st cycle of basic education

Texto Completo:

PDF

Referências


Almeida, P. M. (2012). Aprender com a Expressão Dramática! Relatório de Estágio para obtenção do grau de Mestre, Departamento de Ciências da Educação, Universidade dos Açores, Portugal.

Bardin, L. (1977). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Bogdan, R. & Biklen, S. (1994). Investigação qualitativa em educação uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto Editora.

Cadima, A., Gregório C., & Horta, N. (1997). Diferenciação Pedagógica no Ensino Básico. Lisboa, Instituto de Inovação Educacional.

Cardona, M. I., Nogueira, C., Vieira, C., Uva, M., & Tavares, T. C. (2009). Guião de Educação Género e Cidadania Pré-escolar. Lisboa: Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género.

Cardona, M. I., Nogueira, C., Vieira, C., Uva, M., & Tavares, T. C. (2011). Guião de Educação Género e Cidadania 1.º Ciclo do Ensino Básico. Lisboa: Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género.

Facci, M. G. D. (2004). A Periodização do Desenvolvimento Psicológico Individual na Perspectiva de Leontiev, Elkonin e Vigostski. Cad. Cedes, Campinas, vol. 24, (62), 6481.

Folque, M. A. (1999). A influência de Vigotsky no modelo curricular do Movimento da Escola Moderna para a educação pré-escolar. Escola Moderna, 5 (5), 5-12.

Gomes, M. H. J. (2013). A Organização do Trabalho na Pedagogia Diferenciada ao nível do 1.º Ciclo do Ensino Básico: um estudo comparativo entre os modelos pedagógicos High/Scope e Movimento da Escola Moderna. Tese para obtenção de Grau de Mestre. Universidade Aberta, Portugal.

Grave-Resendes, L. & Soares, J. (2002). Diferenciação Pedagógica. Lisboa: Universidade Aberta.

Hohmann, M. & Weikart, D. P. (1997). Educar a Criança. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Legrand, L. (1976), La différenciation pédagogique, Paris: Éd. Du Scarabée.

Mandlate, M. S. (2012). Políticas e Práticas de Diferenciação e Inclusão Curricular em Moçambique. Universidade do Minho.

Marques, C. I. A. (2015). Uma prática reflexiva sobre a diferenciação pedagógica. Relatório da Prática Profissional Supervisionada. Mestrado em Educação Pré-Escolar. Instituto Politécnico de Lisboa, Escola Superior de Educação de Lisboa. Portugal.

ME-DEB (1997). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar, Lisboa, Departamento de Educação Básica-Ministério da Educação.

ME-DEB (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar, Lisboa, Departamento de Educação Básica-Ministério da Educação.

Meirieu, P. (1985). L’école, mode d’emploi : des « méthodes actives » à la pédagogie différenciée. Issy‐les‐Moulineaux : ESF éditeur.

Melo, L. C. L. R. (2011). Currículo, Práticas Educativas e Diferenciação Pedagógica no Pré-Escolar e no 1.º Ciclo. Relatório de Estágio para Obtenção de grau de mestre. Departamento das Ciências da Educação, Universidade dos Açores, Ponta Delgada, Portugal.

Niza, S. (2000). A cooperação educativa na diferenciação do trabalho de aprendizagem. Escola moderna,9 (5), 39-46.

Pereira, T. R. S. (2013). Relatório de estágio em educação pré-escolar. Relatório Final de Estágio para a obtenção do Grau de Mestre em Educação Pré-Escolar. Politécnico do Porto, Escola Superior de Educação, Portugal.

Perrenoud, P. (1997). Concevoir et faire progresser des dispositifs de différenciation. Éducateur magazine, (13), 20-25.

Pimentel, G. B. N. M (2014). Pedagogia diferenciada no 1.º Ciclo do Ensino Básico. Relatório de Estágio para obtenção do grau de Mestre. Universidade dos Açores, Portugal.

Pinharanda, M. A. M. S. (2009). Diferenciação Pedagógica no 1.º C.E.B. Tese submetida como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre em Supervisão Pedagógica. Departamento de Psicologia e Educação, Universidade da Beira Interior, Portugal.

Prud'homme, L., Folbec, A., Brodeur, M., Presseau, A., & Martineau, S. (2005). La construction d’un îlot de rationalité autour du concept de différenciation pédagogique. Journal of the canadian association for curriculum studies, 3(1).

Roldão, M. C. (2003). Diferenciação Curricular e Inclusão. In D. Rodrigues, Perspetivas Sobre a Inclusão (pp. 151-165). Porto: Porto Editora.

Stipanov, M. (2005). Práticas de Planificação Um Estudo Comparativo entre as Práticas dos Estagiários da F.C.D.E.F – U.C. de 2005-2006 e as Práticas de Planificação Atuais dos Professores do Primeiro Curso Da F.C.D.E.F – U.C. Tese de Mestrado. Faculdades de Ciências do Desporto e Educação Física, Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal

Tomlinson, C. (2008). Diferenciação Pedagógica e Diversidade. Ensino de alunos em turmas com diferentes níveis de capacidade. Porto: Porto Editora.

Tomlinson, C. Allan, S. D. (2002). Liderar projetos de diferenciação pedagógica. Lisboa, Asa Editores II, S.A

Legislação Consultada

Lei n.º 46/86 de 14 de outubro. Diário da República, n.º 237 - 1ª série. Ministério da Educação. Lisboa.

Decreto-lei n.º 240/2001, de 30 de agosto. Diário da República, n.º 201 – I Série – A. Ministério da Educação. Lisboa.

Decreto-Lei 241/2001 de 30 de agosto. Diário da República: I Série-A N.º 201. Lisboa: Ministério da Educação.

Lei n.º 5/97. Diário da República, 1ª série, nº34, de 10 de fevereiro de 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Copyright Stainless Steel Teapot And Osmanthus Oolong Tea