ANALISE DA ESTABILIDADE DO YOP CHAGI NO TAEKWONDO-ESTUDO PRELIMINAR

Carlos Daniel Gomes Mata, Fernando Rocha, Hugo Louro

Resumo


Resumo

 

O objetivo deste estudo foi identificar os desvios técnicos mais comuns, na técnica de perna Yop chagi do Taekwondo. A amostra foi constituída por 28 atletas de Taekwondo com idades compreendidas entre os 12 e os 59 anos (23,96±12,29 anos), sendo 7 atletas femininos e 21 masculinos com 4,54±2,58 anos de prática. Para identificação dos desvios utilizamos o instrumento de observação ad hoc validado para o efeito (Mata, C. & Louro, H. 2014). O Yop chagi foi dividido por três fases: 1º) Saída do pé do chão, 2º) Inicio da extensão da perna momento de contacto, 3º) Inicio da flexão da perna extensão da coxa, dando especial importância a três critérios taxionómicos que agregam na forma de códigos alfanuméricos a informação decisiva para descrever comportamentos que definem a técnica Yop Chagi.

Os resultados, obtidos em percentagens, mostram que na fase 1, obtivemos uma média de estabilidade de 89,7 % e de instabilidade através dos desvios de 10,3%, na fase 2, 54% de estabilidade e de46% de instabilidade através dos desvios. Na fase 3, 61%de estabilidade contra 39% de instabilidade. Permitindo-nos concluir que a fase 1 será a mais estável, a fase 2, obteve maior instabilidade por parte dos atletas, na fase 3, identificamos a colocação do tronco como mais instável.

Estes resultados permitem-nos propor uma bateria de exercícios específicos para corrigir os desvios detetados, ocorrendo numa otimização da técnica.

 

Palavras-chave: Taekwondo; Observação; Análise técnica; Yop Chagi


Texto Completo:

PDF

Referências


Bibliografia

Balbinotti, A., Balbinotti, A., Gaya, A., & Marques, T. (2004). Proposição e validação de um instrumento para avaliação do treino técnico-desportivo de jovens tenistas. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 18(3), 213–226.

Brewer, B. (2009). Handbook of Sports Medicine and Science Sport Psychology

Bompa, T. O. (2003). Periodización. Teoría y metodología del entrenamiento. Editorial Hispano Europea.

Bompa, T (1983). Theory and Methodology of Trainning. Toronto. York University. Canada.

Bump, L. (1989). Sport Psychology. Study Guide. Campaign, IL: Human Kinetics Pub.

Balbinotti, M. A. A., Balbinotti, C. A. A., Gaya, A. C. A., & Marques, A. T. (2004). Proposição e validação de um instrumento para avaliação do treino técnico-desportivo de jovens tenistas. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 18(3), 213–226.

Calmet, M.; Miarka, B.; Franchini, E. (2010) Modeling of grasps in judo contests. International Journal of Performance Analysis in Sport, Cardiff, v.10, n.3, p.229-40.

Chollet, D. (1990). Approche Scientifique de la Natation Sportif. Vigot. Paris. Conceição, A.; Campaniço, J. (2009c). Qualitative versus quantitative analysis of the behaviour patterns of the elite butterflyers. 6th European Sports Medicine Congress, Antalya, Turquia.

Da Silva, V. F., Araújo, R. C., Mochizuki, L., & Ervilha, U. F. (2013). Cinemática bidimensional do pé durante o chute ap bal ap dolio tchagui do tae-kwon-do. Brazilian Journal of Biomechanics= Revista Brasileira de Biomecânica, 13(25), 49–55.

Louro, H.; Silva, A.; Cardoso, J.; Anguera, M.; Oliveira, C.; Campaniço, J. (2009a). Observação do comportamento motor na técnica de mariposa: validação do instrumento de observação. Livro de resumos do 3º Congresso Nacional de Biomecânica – Sociedade Portuguesa de Biomecânica 521-527.

Louro, H.; Silva, A.; Anguera, M.T.; Oliveira, C.; Campaniço, J. (2009b). Caracterização de Padrões Temporais de Comportamento de Mariposistas de Elite.AR. In: Vaz M. A.; Piloto, P.A.; Reis Campos J.C. (eds.). 3º Congresso Nacional de Biomecânica. Instituto Politécnico de Bragança. Bragança; 429-433.

Louro, H.; Silva, A.; Anguera, M.T.; Cameirino, O.; Oliveira, C.; Conceição, A.; Campaniço, J. (2009d). Stability of patterns of behavior in the butterfly swimmers. 6th European Sports Medicine Congress, Antalya, Turquia.

Lee, J., & Abualkibash, M. (2012). Analyzing Taekwondo Poomsae Video Based on Background Modeling Approach.51.Lee.pdf. (sem data). Obtido de http://repository.bridgeport.edu/xmlui/bitstream/handle/123456789/275/51.Lee.pdf?sequence=1

Franchini, E., & Del Vecchio, F. B. (2011). Estudos em modalidades esportivas de combate: estado da arte. Rev Bras Educ Fís Esporte, 25, 67–81.

Hermann, G., Scholz, M., Vieten, M., & Kohloeffel, M. (2008). Reaction and performance time of taekwondo top-athletes demonstrating the baldung-chagi. ISBS - Conference Proceedings Archive, 1(1). Obtido de https://ojs.ub.uni-konstanz.de/cpa/article/view/1873

Jang, D., Park, S., & Lee, S.-E. (2012). Effect of Action Observation on the Learning of Taekwondo Side Kick. learning, 11(12), 13.

Mata, C. & Louro Hugo (2014) Análise da qualidade do sistema de observação da técnica yop chagi no taekwondo Revista-da-UIIPS_N1_Vol2_ pag. 51_.pdf

Miziara, I. M. (2014). Proposta de um sistema para avaliação biomecânica de atletas de taekwondo. Obtido de http://penelope.dr.ufu.br/handle/123456789/4188


Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Copyright Stainless Steel Teapot